Cadastre-se e receba atualizações por E-mail

segunda-feira, 4 de julho de 2011

TREINAMENTO FUNCIONAL x HIPERTROFIA MUSCULAR


De acordo com Monteiro e Evangelista (2010), treinamento funcional se refere a uma metodologia de treinamento que visa ao trabalho de diversos grupos musculares ao mesmo tempo, ou seja, a integração do corpo como um todo.
Já, a hipertrofia muscular é entendida como o aumento da secção transversa do músculo em decorrência do estresse (mecânico e metabólico) proporcionado pelo treinamento (Teixeira e Guedes Jr., 2010). É mais evidenciada em programas de treinamento que visam ao isolamento muscular.
Com base no exposto, os termos treinamento funcional e hipertrofia muscular apresentam conceitos contraditórios, ou seja, do ponto de vista conceitual, parece inviável objetivar hipertrofia no treinamento funcional, haja vista que esse último não proporciona o isolamento muscular.
No entanto, é necessário lembrar que a utilização de sobrecarga externa ao movimento, seja qual for a origem da sobrecarga, proporciona hipertrofia muscular (Teixeira e Guedes Jr., 2010). Por exemplo, trabalhadores braçais como estivadores, feirantes, entre outros, apresentam certo nível de hipertrofia muscular mesmo sem participarem de programas de treinamento. Isso se explica na necessidade constante de carregarem “pesos”, oferecendo estímulos hipertróficos aos seus músculos, mesmo sem conhecimento.
Porém, o que vai determinar a magnitude da hipertrofia muscular é a quantidade e a qualidade da sobrecarga. Protocolos de treinamento para hipertrofia máxima devem apresentar sobrecarga elevada (Guedes Jr et al., 2008).
No treinamento funcional, devido às suas características de instabilidade e combinação de planos de movimento, a magnitude da sobrecarga externa não é alta. Entretanto, ela existe! Se existe, mesmo sendo baixa, é cabível pensar que proporcionar hipertrofia muscular moderada.
Todavia, esses conceitos devem ser vistos com cautela, tendo em vista que o treinamento funcional é uma área de recente interesse científico e ainda são escassas as publicações referentes ao assunto, principalmente, relacionadas à hipertrofia muscular.
Vale ressaltar que os programas de treinamento para hipertrofia muscular exigem variação constante de estímulos (Teixeira e Guedes Jr., 2009) e os exercícios funcionais podem promover essa variação. Portanto, pensando na saúde de nossos alunos como um todo, a inclusão de alguns exercícios funcionais nos programas tradicionais de musculação pode ser uma estratégia interessante do ponto de vista fisiológico e motivacional.
Para aqueles que se interessaram pelo assunto, compartilho dois vídeos com sugestões de exercícios funcionais na musculação:






Bons treinos!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Guedes Jr. DP, Souza Jr. TP, Rocha AC. Treinamento personalizado em musculação. São Paulo: Phorte, 2008.

Monteiro AG, Evangelista AL. Treinamento funcional: uma abordagem prática. São Paulo: Phorte, 2010.

Teixeira CVLS, Guedes Jr. DP. Musculação desenvolvimento corporal global. São Paulo: Phorte, 2009.

______________________________. Musculação perguntas e respostas: as 50 dúvidas mais freqüentes nas academias. São Paulo: Phorte, 2010.

Prof. Cauê V. La Scala Teixeira
CREF 42574-G/SP
Formado em educação Física, especialista em Fisiologia do Exercício e em Treinamento de Força
Autor de 3 livros na área de musculação

Nenhum comentário:

Postar um comentário