Cadastre-se e receba atualizações por E-mail

segunda-feira, 7 de março de 2011

TREINAMENTO CONCORRENTE




Refere-se à associação dos exercícios aeróbios e o treinamento de força. (Guedes Jr.,2006). O treinamento concorrente leva esse nome a partir da idéia de que os benefícios, proporcionados por cada uma das atividades (aeróbia e força), concorrem entre si, ou seja, uma atividade poderia interferir negativamente no desenvolvimento da outra (Teixeira e Guedes Jr.,2010).
Estudos que examinaram o treinamento concorrente apresentaram as seguintes conclusões:
·    A alta intensidade de treinamento de resistência aeróbia pode comprometer a força, especialmente em altas velocidades de ações musculares.
·    A capacidade de potência pode ser afetada tanto pelo desempenho do treinamento de força como pelo de resistência aeróbia.  
·    A alta intensidade do treinamento de resistência aeróbia pode afetar negativamente a curto prazo o desempenho anaeróbio.
·    O aumento do consumo de oxigênio de pico não é comprometido por um programa de treinamento de força de alta intensidade.
·    O treinamento de força não afeta negativamente as capacidades de resistência aeróbia.
·    Os programas de treinamento de força e potência podem beneficiar os desempenhos de resistência aeróbia pela prevenção de lesões, pelo aumento do limiar de lactato e Pela redução do tempo de contato com o solo durante a corrida.
                                                           (FLECK E KRAEMER.,2006)

A importância de identificar o objetivo principal e complementar do aluno é fundamental para então desenvolver dentro do programa de treinamento a metodologia mais adequada.

Segundo Guedes Jr (2006) a modalidade principal deve ser priorizada, enquanto a atividade suporte deve ser realizada com volume moderado, para não comprometer o período de recuperação. De um modo geral, a combinação de diferentes atividades físicas pode trazer maiores benefícios à saúde como um todo.
No esporte competitivo também se observa combinações de treinamentos para evitar alguns riscos à saúde dos atletas que são submetidos a longas jornadas de treino com intervalos inadequados.

Podemos observar que um atleta fisiculturista em determinado fase de treinamento emprega atividades aeróbias, visando à saúde cardiovascular. Já os corredores ou outros atletas de endurance, incluem a musculação que além de contribuir com a melhora da endurance esportiva, auxilia na manutenção da massa magra, que é comprometida em virtude do grande catabolismo proporcionado pelas atividades de longa duração, por fim, na prevenção de lesões.

Portanto, quando se tem por objetivo específico o desenvolvimento de força (força máxima, potência, hipertrofia), o treinamento de força deveria ser priorizado (especificidade do treinamento). Caso haja necessidade da combinação das atividades de força e aeróbia, pode-se optar pela prática da atividade aeróbia em períodos ou dias separados ou, se na mesma sessão, após o treino de força (Teixeira e Guedes Jr.,2010 apud Weinewck 2000; Paulo et AL.,2005; Guedes Jr.,2007a).



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


TEIXEIRA, C. V. L; GUEDES JUNIOR, D. P. Musculação perguntas e respostas: as 50 duvidas mais freqüentes nas academias. Phorte editora, 2010.

FLECK, S. J; KRAEMER, W. J. Fundamento do treinamento de força muscular. 3 ed, Artmed, 2006.

GUEDES, D. P. Saiba tudo sobre musculação. Rio de Janeiro: Editora Shape. 2006



Profº Carlos André Barros de Souza
CREF 081728-G/SP
Professor de Educação Física (FEFIS)
Graduando em Fisioterapia (UNILUS)
Email: c.andrefisio@yahoo.com.br

2 comentários:

  1. Parabéns pela matéria , gostaria de convidar a todos para o Forum Internacional de Treinamento de Forca e Qualidade de Vida com Steven Fleck e Roberto Simao dia 04 de junho em Recife/Pe e dia 11 de junho Natal/Rn.
    Informações e informações: www.natalfit.com.br

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a matéria, parabéns caros colegas de profissão!Meu nome é Osmar Jr, sou do curso de Ed.Física da UFRN, aqui em Natal-RN!@juniorbill88

    Vlww..abração!

    ResponderExcluir