Cadastre-se e receba atualizações por E-mail

sábado, 10 de dezembro de 2011

EXERCÍCIO FÍSICO, CALOR E DESIDRATAÇÃO



A prática do exercício físico cresce consideravelmente quando o verão se aproxima, pois todos querem ficar com o corpo em forma. Com esses fatores reunidos, calor e exercício, a quebra da homeostase (equilíbrio) se tornará ainda mais intensa.
Sendo assim, devemos tomar alguns cuidados quanto a esse estresse, que pode causar prejuízos consideráveis à saúde, como a desidratação.
O exercício físico faz aumentar a produção de calor, levando o individuo a perder mais líquido através do suor. O suor é o mecanismo mais eficiente para eliminar esse calor. Durante exercício intenso, em clima quente e úmido, a produção de suor pode ultrapassar os 2 litros por hora.

Alguns exemplos dos efeitos causados pela desidratação:
Aumento da freqüência cardíaca;
Aumento da pressão arterial;
Aumento da temperatura corporal (hipertemia);
Queda do rendimento;
Coma e morte.

A prevenção é a melhor estratégia. A fim de evitar esses sintomas, o Colégio Americano de Medicina do Esporte recomenda alguns procedimentos:
Consumir 500 ml de líquidos, 2 horas antes da atividade;
Durante a atividade, consumir o máximo tolerável de líquidos em intervalos regulares;
Associar carboidratos e eletrólitos na solução ingerida quando passar de 1 hora de exercícios;
Vestimentas o mais arejadas possível.

É bom lembrar que a gordura é lipossolúvel (não dissolve na água), sendo assim, o suor não significa emagrecimento e sim, desidratação.

Um abraço,
Prof. Carlos André de Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário